Atividade econômica cresceu 0,01% em novembro


A atividade econômica avançou 0,1% em novembro em relação ao mês anterior, conforme indicou o Monitor do PIB-FGV, divulgado hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). Na comparação com o mesmo mês de 2021, o crescimento do PIB (soma dos bens e serviços produzidos no país), ficou em 2%. Em relação ao trimestre móvel encerrado em novembro de 2022, a economia cresceu 2,6%. Segundo a pesquisa, a estimativa em termos monetários é de que o acumulado do PIB até novembro de 2022, em valores correntes, é de R$ 8 trilhões 990 bilhões e 281 milhões.

A coordenadora da pesquisa, Juliana Trece, informou que o crescimento de 0,1% da economia em novembro é explicado pelo desempenho positivo da agropecuária e da indústria. Além disso, o setor de serviços, que tem mostrado tendência de desaceleração desde o segundo semestre, apresentou retração em novembro, após 6 meses consecutivos de taxas positivas.

“É importante destacar o desempenho deste setor, pois ele tem sido responsável por cerca de 80% do crescimento do PIB de 2022. Os juros elevados combinado com o alto índice de endividamento das famílias contribuíram para essa desaceleração dos serviços”, comentou.

Famílias

O consumo das famílias subiu 4,4% no trimestre móvel terminado em novembro, e nesta análise, o consumo de serviços permanece como o principal responsável pelo crescimento, ainda que em nível menor que o observado anteriormente. De acordo com a pesquisa, a desaceleração do ritmo de crescimento apareceu em todos os componentes do consumo, apesar de somente o consumo de produtos semiduráveis ter, de fato, retração no trimestre, de 9,6%.

Formação de capital

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), que é a capacidade de investimentos, avançou 5,6% no trimestre móvel de setembro a novembro. Apesar de todos os segmentos da FBCF terem crescido, o principal responsável pelo desempenho foi o de máquinas e equipamentos com contribuição em torno de 70%.

“Tal como nos quatro trimestres móveis anteriores, o forte crescimento de máquinas e equipamentos importados explica a evolução do segmento de máquinas e equipamentos”, apontou a pesquisa.

Exportação

No mesmo trimestre móvel, a exportação de bens e serviços teve aumento de 15,1% e todos os segmentos contribuíram positivamente para o desempenho. O principal destaque foi a exportação de produtos agropecuários, que respondeu por aproximadamente 30% do crescimento total das exportações.

Importação

Já a importação de bens e serviços teve ganho de 6,5% entre setembro e novembro. Mesmo sendo positivo, o resultado indica redução do ritmo de crescimento que vinha sendo observado desde meados de 2022. A principal causa da desaceleração é o desempenho das importações de bens intermediários, que passaram de crescimento de 9,4%, no trimestre móvel de agosto a outubro, para 3,7%, no período encerrado em novembro.

Taxa de investimento

A média das taxas de investimento mensais desde janeiro de 2000 é de 18%, mas a verificada desde janeiro de 2015 caiu para 16,6%. No entanto, a taxa de investimento em novembro de 2022 atingiu 19,9%, na série a valores correntes. “Este resultado apresenta uma taxa de investimento acima da taxa de investimento média mensal considerando o período desde 2000 e acima da taxa de investimento média considerando o período desde o 1º trimestre de 2015”, mostra a pesquisa.



agencia brasil

Deixe uma resposta