Funcionários demitidos do Twitter devem desistir da ação coletiva, diz juiz

Um juiz ordenou que um grupo de funcionários demitidos do Twitter desistisse de sua ação coletiva contra a empresa, que acusa o Twitter de não cumprir o prometido pacote de indenização, conforme relatado anteriormente por Bloomberg e Reuters. Em uma decisão na sexta-feira, o juiz distrital dos EUA, James Donato, afirma que os trabalhadores devem apresentar seu caso em arbitragem privada, citando o contrato de trabalho que assinaram com o Twitter.

De acordo com a decisão, o contrato do Twitter afirma “expressamente” que a arbitragem não é obrigatória e também oferece uma opção para os funcionários optarem por não participar do procedimento. O juiz diz que os funcionários não optaram pela arbitragem, o que lhes daria a chance de resolver as coisas no tribunal. O contrato do Twitter também continha uma renúncia à ação coletiva, observa a decisão.

“O Twitter forneceu cópias assinadas dos acordos, e todos eles são claros e diretos.” Enquanto cinco dos trabalhadores “estão condenados à arbitragem a título individual”, o juiz decidirá posteriormente o que fazer com os outros três trabalhadores que ingressaram no processo em dezembro e declaram que desistiram da convenção de arbitragem.

O grupo de ex-funcionários do Twitter entrou com a ação coletiva pela primeira vez em novembro e acusou o Twitter de não fornecer aviso prévio suficiente antes de serem demitidos, violando a Lei de Notificação de Ajuste e Retreinamento do Trabalhador (WARN), que exige que os empregadores forneçam 60 dias de aviso de demissões em toda a empresa. Mais tarde, eles alteraram a reclamação para incluir alegações de que o Twitter violou seu contrato ao não fornecer a indenização devida.

Shannon Liss-Riordan, advogada que representa os funcionários do Twitter, respondeu à decisão em um post no Twitter. “Nós antecipamos isso e é por isso que já entramos com 500 demandas individuais de arbitragem – e continuando”, escreve Liss-Riordan. “Esta não é uma vitória para @elonmusk. O Twitter ainda tem que responder às reclamações no tribunal, além das batalhas de arbitragem.”



Deixe uma resposta