Google está sendo processado pelos EUA por seu suposto monopólio de anúncios digitais

O Google está enfrentando um processo do Departamento de Justiça dos Estados Unidos e de oito estados por seu suposto monopólio no mercado de publicidade digital. A agência acusa a empresa de abusar do “poder de monopólio” em detrimento de sites e anunciantes que usam outras ferramentas de publicidade, de acordo com um processo aberto na terça-feira (PDF). Uma coletiva de imprensa está marcada para as 14h ET para anunciar o processo.

“O comportamento anticompetitivo do Google elevou as barreiras de entrada a níveis artificialmente altos, forçou os principais concorrentes a abandonar o mercado de ferramentas de tecnologia de anúncios, dissuadiu concorrentes em potencial de ingressar no mercado e deixou os poucos concorrentes remanescentes do Google marginalizados e injustamente em desvantagem”, diz o processo.

Ele prossegue alegando que as várias aquisições do Google permitiram que ele “neutralizasse ou eliminasse” os concorrentes. Segundo os advogados do governo, ao somar os supostos movimentos anticompetitivos, “essas ações inter-relacionadas e interdependentes tiveram um efeito cumulativo e sinérgico que prejudicou a concorrência e o processo competitivo”.

O Google sabia que isso aconteceria. No ano passado, a empresa tentou evitar uma possível ação judicial do DOJ oferecendo-se para separar seu negócio de leilões de anúncios, que vende e coloca anúncios em sites de clientes, do braço de publicidade digital do Google. Mas, em vez de torná-la uma empresa separada, a mudança colocaria a divisão sob o guarda-chuva da empresa-mãe do Google, a Alphabet.

Essa e outras concessões supostamente oferecidas pelo Google obviamente não foram suficientes para convencer o DOJ de que não está envolvido em práticas anticompetitivas. O processo do DOJ pede ao tribunal que force o Google a se desfazer de seus negócios de publicidade. Oito estados, incluindo Nova York, Califórnia, Connecticut e Virgínia, também assinaram o processo. O Google não respondeu imediatamente a The Vergepedido de comentário.

O DOJ processou o Google por motivos semelhantes em 2020, acusando-o de monopolização ilegal dos mercados de busca e anúncios. Na época, a agência pediu ao tribunal que “quebrasse o controle do Google sobre a distribuição de buscas para que a concorrência e a inovação pudessem se firmar”. No início deste mês, o Google entrou com uma moção para rejeitar uma reclamação da agência que alega que o Google aproveita seu sistema operacional Android e seu domínio geral no mercado de buscas para limitar ainda mais a concorrência no setor.

O processo do DOJ faz parte de uma repressão governamental mais ampla ao domínio da Big Tech. Em maio do ano passado, um grupo de republicanos e democratas do Senado introduziu a Lei de Concorrência e Transparência na Publicidade Digital. O projeto de lei poderia forçar empresas como Google e Meta a alienar seus negócios de publicidade, pois impediria empresas que processam mais de US$ 20 bilhões por ano em transações de anúncios digitais de participar de várias partes da indústria de anúncios digitais.

Deixe uma resposta