Google poderia cortar financiamento para mais editores de notícias dos EUA

Depois de ameaçar remover links para meios de comunicação da Califórnia devido a um novo projeto de lei no estado, o Google poderá reduzir ainda mais seus investimentos no setor. A gigante da tecnologia disse a redações sem fins lucrativos que poderia interromper o financiamento da Google News Initiative, que fornece mais de US$ 300 milhões em financiamento para milhares de meios de comunicação, de acordo com um relatório da Eixos.

O Google emitiu o alerta em resposta a outro projeto de lei da Califórnia que visa ajudar os meios de comunicação locais. Se aprovado, o projeto cobraria um imposto de 7,25% sempre que grandes empresas como o Google vendessem informações de usuários a anunciantes. O dinheiro arrecadado com esse imposto financiaria créditos fiscais para meios de comunicação no estado.

Embora esta lei só entre em vigor na Califórnia, o Google teria alertado os meios de comunicação de que poderia suspender novas concessões em todo o país. Fontes dizem Eixos que o Google está preocupado com a possibilidade de estabelecer um “precedente mais amplo para outros estados”. No mês passado, o Google testou a remoção de links para meios de comunicação da Califórnia em resposta à pendente Lei de Preservação do Jornalismo da Califórnia (CJPA). Este projeto de lei faria com que as principais plataformas de tecnologia, como Google e Meta, pagassem para vincular artigos de editores de notícias sediados na Califórnia.

Quando contatado para comentar, o Google referiu-se A beira a uma postagem que a empresa fez em abril sobre o CPJA. Na época, Jaffer Zaidi, vice-presidente de parcerias de notícias do Google, escreveu que a empresa está “interrompendo novos investimentos no ecossistema de notícias da Califórnia, incluindo novas parcerias por meio do Google News Showcase, nosso produto e programa de licenciamento para organizações de notícias, e expansões planejadas de a Iniciativa Google Notícias.”

Os editores de notícias há muito argumentam que as grandes tecnologias deveriam pagar-lhes mais pela publicação de links para seus artigos – e por boas razões. Um documento de trabalho publicado no ano passado estimou que o Google deveria aos editores algo entre US$ 11,9 bilhões e US$ 13,9 bilhões por ano se a lei nacional fosse aprovada. Outros países que promulgaram legislação destinada a proteger os editores, incluindo a Austrália e o Canadá, enfrentaram ameaças semelhantes do Google. Mas a empresa finalmente chegou a um acordo para compensar os pontos de venda nos dois países.

theverge