Greve no Dnieper – já são conhecidos 35 mortos, dois dos quais crianças

Na manhã de 16 de janeiro, 35 civis morreram como resultado do ataque russo bateu em um prédio alto no Dnieper, disse o chefe da OVA Valentin Reznichenko. Dois dos mortos são crianças.

“Por quase 40 horas, uma operação de resgate e busca está ocorrendo no Dnieper. À noite, as equipes de resgate retiraram vários outros mortos dos escombros de um prédio alto destruído por um foguete russo. Atualmente, um ataque inimigo já tirou a vida de 35 moradores da casa. Há duas crianças entre eles”, disse Reznichenko.

39 pessoas foram resgatadas dos escombros. 75 civis ficaram feridos, incluindo 14 crianças.

“O destino de outros 35 moradores da casa é desconhecido. A busca por pessoas sob os escombros continua”, acrescentou o chefe da OVA.

Veja também: Ordenou um ataque com mísseis no Dnieper: as informações sobre a pessoa envolvida foram atualizadas do InformNapalm

A Rússia lançou um ataque com mísseis contra um prédio residencial de nove andares em Dnipro em 14 de janeiro. Toda a entrada foi totalmente destruída. O golpe foi desferido por um míssil Kh-22, o sistema de defesa aérea ucraniano ainda não possui meios suficientes para abatê-los. De acordo com InformeNapalm, para atingir o Dnieper deu o comandante do 52º Regimento de Aviação de Bombardeiros Pesados ​​​​de Guardas, Oleg Timoshin. Ele também liderou o bombardeio do shopping Amstor em Kremenchug, onde cerca de 20 pessoas morreram.



Deixe uma resposta