Greve no Dnieper – o número de mortos subiu para 43 pessoas

O número de mortes como resultado de ataques hostis bateu em um prédio alto no Dnieper já atingiu 44 pessoas, disse o prefeito Boris Filatov. Quatro crianças estavam entre os mortos.

Pouco antes da mensagem, Filatov soube que sob os escombros da casa destruída o corpo de uma criança morta foi recuperado. Ele foi encontrado no quarto andar.

79 pessoas ficaram feridas, incluindo 16 crianças, e 39 pessoas foram resgatadas. Há 28 pessoas nos hospitais da cidade, 10 delas em estado grave. O destino de mais de 20 permanece desconhecido.

A Rússia lançou um ataque com mísseis contra um prédio residencial de nove andares no Dnieper em 14 de janeiro, destruindo completamente uma entrada inteira. O golpe infligido pelo míssil Kh-22, o sistema de defesa aérea ucraniano ainda não possui meios suficientes para abatê-los. De acordo com InformeNapalm, para atingir o Dnieper dado pelo comandante do 52º Regimento de Aviação de Bombardeiros de Guardas Pesados ​​Oleg Timoshin. Ele também liderou o bombardeio do shopping Amstor em Kremenchug, onde cerca de 20 pessoas morreram.



Deixe uma resposta