O Pentágono não conseguiu contabilizar mil milhões de dólares em armas fornecidas à Ucrânia


O inspetor-geral do Pentágono disse que os Estados Unidos não conseguiram rastrear completamente algumas das armas e equipamentos mais sensíveis enviados à Ucrânia para defesa contra a Rússia. Embora o relatório do inspetor não diga que as armas foram roubadas ou utilizadas indevidamente, Bloomberg disse que o documento complicará os esforços da administração do presidente Joe Biden para obter o apoio do Congresso para 61 mil milhões de dólares em nova ajuda militar à Ucrânia. Alguns republicanos questionaram a necessidade de ajuda e usaram como argumento a especulação sobre transferências descontroladas de armas.

De acordo com o inspetor-geral do Departamento de Defesa, o departamento “não manteve registros precisos” de mais de US$ 1 bilhão em mercadorias enviadas para a Ucrânia, incluindo equipamentos de visão noturna, mísseis de defesa aérea, mísseis antitanque e equipamentos de lançamento, bem como kamikaze. drones, informou a Bloomberg, citando o relatório do inspetor-geral

VOCÊ ESTÁ INTERESSADO

O documento reconhece que algumas das dificuldades no rastreamento de equipamentos estão relacionadas com os combates na Ucrânia e “o movimento de pessoal num país em guerra”. “Determinar se tal assistência foi mal utilizada estava além do âmbito da nossa avaliação”, observa o relatório.

Lembremos que, de acordo com o presidente Volodymyr Zelensky, em 2023 os Estados Unidos forneceram à Ucrânia ajuda militar no valor de mais de 23 mil milhões de dólares em 34 pacotes – quase o mesmo que em 2022 (22 mil milhões de dólares) – o primeiro ano de uma invasão russa em grande escala. .

VOCÊ ESTÁ INTERESSADO

Os americanos têm muito medo do afluxo de migrantes, o que permite aos republicanos no Congresso chantagear os democratas e bloquear a ajuda à Ucrânia. Deveríamos esperar um compromisso rápido entre Republicanos e Democratas nesta situação? Anna Brodsky-Krotkina responde a esta pergunta no artigo “Os EUA desbloquearão a ajuda à Ucrânia este mês?” – leia em ZN.UA.

Notou um erro?

Selecione-o com o mouse e pressione Ctrl+Enter ou Enviar um bug



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *