Palestina, filme de Israel, guerra da Ucrânia em Sheffield DocFest Focus

O Sheffield DocFest 2024 destacará um coletivo de cineastas palestinos e israelenses, o projeto Arquivo de Guerra da Ucrânia e muito mais, já que os organizadores revelaram na sexta-feira que o tema da 31ª edição do festival inglês será “Reflexões sobre Realidades”.

O evento, que acontece de 12 a 17 de junho, oferecerá uma programação especial de filmes e conversas sob o título “Dias de Reflexão” sobre os temas co-resistência, liberdade de imprensa, terras ancestrais e arquivo do presente, que irá estreias de Nenhuma outra terra, Estado de Silêncio, Yintahe Testemunhas: cativeiro que mata.

“O Sheffield DocFest acredita firmemente no poder transformador dos documentários para despertar a curiosidade, envolver o público e promover discussões significativas”, disseram os organizadores. “Reconhecendo os desafios interligados da crescente polarização, da liberdade de imprensa, dos ataques ao jornalismo independente e dos muitos conflitos violentos em todo o mundo, pensámos profundamente sobre a nossa posição e responsabilidade como instituição de caridade comprometida com o avanço da arte do documentário.”

Acrescentaram os organizadores: “Como organização, denunciamos todas as formas de violência e discriminação em todo o mundo. À luz dos ataques em Israel em 7 de Outubro, da guerra na Palestina e da escalada do conflito no Médio Oriente, apoiamos o apelo a um cessar-fogo e à libertação de todos os reféns. Condenamos esta guerra e todas as guerras que afectam milhões de pessoas em todo o mundo, e agradecemos aos corajosos cineastas do Médio Oriente, da Ucrânia e do Sudão que nos trazem as suas histórias este ano.”

Eles também enfatizaram que iriam “desafiar e abordar qualquer comportamento discriminatório ou prejudicial em qualquer um dos nossos eventos”.

Abaixo está uma visão mais detalhada dos temas e filmes do Sheffield DocFest que os abordam.

Co-Resistência
“Desde trabalhadores do sexo uruguaios que defendem mudanças políticas, até agricultores indianos e suas famílias que protestam contra leis injustas, esta conversa investiga o poder transformador da ação coletiva na promoção da compreensão e do diálogo genuíno”, disseram os organizadores do Sheffield DocFest. “No centro deste painel está Nenhum outro Terra, que documenta a aliança entre um activista palestiniano e um jornalista israelita. O coletivo palestino-israelense de cineastas e ativistas por trás do filme compartilhará ideias sobre como a cocriação pode garantir o diálogo sobre a polêmica e enfatizará a importância da solidariedade e do apoio mútuo na busca de objetivos comuns.” Os diretores e escritores do documento são Basel Adra, Hamdan Ballal, Rachel Szor e Yuval Abraham.

Liberdade de imprensa
“Em todo o mundo, os jornalistas enfrentam alvos de governos e empresas, prejudicando a sua capacidade de desempenhar as suas funções vitais”, destacaram os organizadores do festival. O filme Estado de Silêncio, dirigido por Santiago Maza, acompanha jornalistas que discutem as ameaças que enfrentam por reportarem nas linhas de frente de Sinaloa, Tapachula, Morelos e outras cidades do México. “As realidades dos jornalistas mexicanos, bem como as apresentadas em outros filmes da seleção, estarão no centro da conversa que se seguirá sobre o delicado estado do jornalismo em todo o mundo”, enfatizou Sheffield DocFest.

Terras Ancestrais
O programa de 2024 apresenta trabalhos de cineastas de comunidades indígenas da Colômbia, Canadá e Groenlândia que usam o documentário como “um meio de expressar, criticar e documentar suas realidades atuais e passadas”, destacaram os organizadores. “Além disso, os direitos à terra evoluíram para uma questão central de importância social e económica, evidente em filmes que investigam a identidade social, juntamente com situações presentes e pós-conflito.” Yintahdirigido por Jennifer Wickham, Brenda Michell e Michael Toledano, por exemplo, traça “a situação do povo Wet’suwet’en” que luta por suas terras e territórios no Canadá.

Arquivando o Presente
Este painel irá explorar o trabalho dos arquivos de guerra na formação da compreensão da história, na manutenção de testemunhos oculares, nas considerações éticas do armazenamento de arquivos e no potencial da IA. “O centro desta conversa será Testemunhas. Cativeiro que mata, um filme criado pela equipe do projeto Arquivo de Guerra da Ucrânia que apresenta testemunhos únicos sobre a guerra russa coletados em 2022-2023”, segundo os organizadores do Sheffield DocFest. As diretoras do documento são Maryna Roshchyna e Tetiana Symon.

Hollywood Reporter.