Queda do Il-76 – A Rússia não responde aos apelos para entregar os corpos de prisioneiros supostamente mortos



01 de fevereiro de 2024, 21h41

A Rússia não responde aos pedidos da Ucrânia para a devolução dos corpos de prisioneiros de guerra supostamente mortos a bordo do Il-76, disse Andrei Yusov, representante da Diretoria Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia, no ar de a maratona do United News.

“A Ucrânia abordou e continua a apelar em relação à transferência de corpos. Até agora, o lado russo não concorda com isso. Portanto, continua relevante a exigência do nosso Estado de conduzir uma investigação internacional imparcial não apenas sobre as circunstâncias da queda do avião Il-76, mas também sobre o que realmente havia dentro: havia pessoas lá, havia alguma munição lá, quem estava a bordo, exceto a tripulação.”, disse Yusov.

O representante da Direcção Principal de Inteligência da Região de Moscovo sublinhou que o estatuto dos 65 soldados que os russos declararam mortos não mudou: ainda são considerados prisioneiros de guerra.

Acrescentou ainda que no âmbito da troca de ontem, os ucranianos que deveriam ser trocados no dia 24 de janeiro regressaram a casa, com exceção de 65 pessoas da lista dos alegadamente a bordo do avião.

Na manhã de 24 de janeiro, uma aeronave Il-76 (RA-78830) das Forças Aeroespaciais Russas caiu na região de Belgorod.

O lado russo afirmou logo após o acidente que supostamente havia prisioneiros de guerra ucranianos a bordo, que deveriam ser trocados naquele dia. A Direcção Principal de Inteligência da Região de Moscovo confirmou posteriormente que a operação de troca estava de facto a ser preparada. No entanto, a Ucrânia ainda não tem confirmação de quem exatamente estava a bordo do Il-76. A SBU iniciou uma investigação.

Notou um erro?

Selecione-o com o mouse e pressione Ctrl+Enter ou Enviar um bug



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *