Um colaborador da polícia de Izyum foi condenado a 15 anos de prisão em 5 de fevereiro – decisão judicial


05 de fevereiro de 2024, 18h02

Um policial de Izyum descobriu patriotas durante a ocupação: foi condenado a 15 anos de prisão

©GBR

Tribunal Distrital de Dzerzhinsky de Kharkov condenado a 15 anos de prisão com o confisco dos bens de um ex-policial que passou para o lado dos ocupantes. Ele também foi destituído de seu posto especial, relata Departamento Estadual de Investigação.

Constata-se que após a ocupação da cidade de Izyum, o traidor passou a trabalhar na “milícia popular”. Em particular, ajudou os russos a patrulhar as ruas, identificou ucranianos patrióticos e encorajou os seus antigos colegas a desertar para o inimigo.

“Após a libertação de Izyum, o traidor permaneceu e decidiu se esconder. Em outubro de 2022, pisou numa mina antipessoal plantada pelos russos. Como resultado da explosão, o homem sofreu uma amputação traumática do pé”, disse o DBI.

A orientação processual foi fornecida pela Procuradoria Regional de Kharkov.

Deixe-nos lembrá-lo que o tribunal mandou o agente para a prisão por 15 anos GRU russo, que na região de Nikolaev monitorava os equipamentos das Forças Armadas da Ucrânia através de um gravador de vídeo escondido em seu próprio carro. O traidor coletou dados sobre o número aproximado e geolocalização de pessoal e equipamento militar das Forças de Defesa da região.

Notou um erro?

Selecione-o com o mouse e pressione Ctrl+Enter ou Enviar um bug



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *